JORNAL FOLHA DE TAMANDARÉ
Rua Rolândia, 70 - Estribo Ahú | Curitiba - PR
(41) 3354.6674 - 9614.1787
folhadetamandare@folhadetamandare.com.br

A REDE SOCIAL

Muito tem se falado na revolução trazida pelas redes sociais, parece realmente que o planeta está ficando menor, notícias são mais rápidas as fotos de fatos ocorridos em qualquer parte do mundo são repercutidas tão rapidamente e replicadas nas redes sociais atingindo os quatro cantos do planeta.

A maneira frenética como as pessoas vêm utilizando as redes sociais no mundo inteiro beira o absurdo, consultam seu smartphone várias vezes por minuto, não importa o local ou a situação, velório, sala de aula, reuniões, palestras, festas, almoções, jantares, enfim em qualquer momento, parece que quem ou o que está longe é sempre mais importante do que aquele que está presente.

Apesar da ilusão de que há melhor comunicação e mais rápida o que verificamos é o isolamento das pessoas, a dependência da tecnologia e um isolamento nas interações humanas; as redes viraram um ambiente onde todos falam (teclam) mas ninguém ouve (lê) o que nos leva ao velho chavão as pessoas vêm mas não enxergam, ouvem mas não escutam. A maneira como usamos a internet ultimamente faz com que as pessoas sejam menos capazes de ler e compreender um texto longo, menos capazes de refletir sobre assuntos mais complexos, e pior, em razão da facilidade, sem qualquer análise mais criteriosa, as redes permitem que as pessoas expressem opiniões instantâneas sem conhecimento de causa, discutindo as mais variadas questões em frases curtas pasteurizadas e partido para o ataque e quem quer que ouse discordar.

Recentemente, na Inglaterra uma jovem postou em seu Facebook uma mensagem de suicídio que foi vista por mais de mil seguidores, no entanto, ninguém fez nada para ajudar, ao invés disso, muitos deles passaram a se digladiar na rede o que comprova a tese de que o importante é aquilo que eu digo (teclo) o resto não me interessa.

O escritor e filósofo italiano Umberto Eco afirmou que as redes sociais dão o direito à palavra a uma "legião de imbecis" que antes falavam apenas "em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade". "Normalmente, eles [os imbecis] eram imediatamente calados, mas agora eles têm o mesmo direito à palavra de um Prêmio Nobel", disse o intelectual.

O debate está tão intenso porque as redes sociais são um campo novo, que ainda precisa desenvolver regras e etiqueta que todos respeitem o que se torna mais urgente na medida em que não há nenhum sinal que as pessoas queiram se desconectar.


FILIADA À ADJORI - Associação dos Donos de Jornais e Revistas do Estado do Paraná
31 anos de circulação CNPJ: 05.241.886/0001-89 FUNDADOR: Antônio Rodrigues Dias (in memoriam)
DIRETOR-PRESIDENTE E JORNALISTA RESPONSÁVEL: Leônidas A. R. Dias - DRT 234/02/18v-PR
CHEFE DE REDAÇÃO: Jair Rodrigues Dias Júnior
DIAGRAMAÇÃO, ARTE E PRODUÇÃO: Exceuni - Aldemir Batista (41) 3657-2864 / 9983-3933 Tamandaré
Central de Computação Gráfica: Tel: (41) 3657-2864
REDAÇÃO E ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA: Rua Rolândia, 70 - Estribo Ahú
Curitiba-PR Cep.: 82560-110 - Tel.: 3354-6674 / 9614-1787.
E-MAILs: folhadetamandare@folhadetamandare.com.br | folhadetamandare@terra.com.br
SITE: www.folhadetamandare.com.br